Estudo sobre Jeremias capítulo9

Estudo sobre Jeremias capítulo9

 

Jeremias Capítulo 9

9.1 – 8: Dominados pela mentira

 

Em Jeremias 9, o Senhor Deus mostra como Jerusalém está dominada pela mentira e falsidade. Como no capítulo 8, o Senhor enfatiza o quanto isso o irrita e que não pode ficar sem julgamento.

O Senhor dá um outro destaque, o povo esqueceu a lei. Eles abandonaram as palavras do Senhor e resolveram seguir o caminho de seu maligno coração. A atitude deles tem consequências graves. Na vida precisamos pedir a Deus que seja o nosso mentor, nosso guia. Ele precisa ser o dono de todas as áreas da nossa vida. Dessa forma, todas as áreas estarão equilibradas. A prosperidade, a paz o crescimento será apenas uma consequência do equilíbrio proporcionado por Deus.

No início do texto de hoje encontramos a razão do por que Jeremias ficou conhecido como o “profeta chorão”. Tomado de grande compaixão, sua vontade era de chorar “de dia e de noite” (v. 1) os mortos da casa de Judá. Pois todos eles já estavam mortos e nem se davam conta.

 

9.1 —  Ah, se a minha cabeça fosse uma fonte de água e os meus olhos um manancial de lágrimas! Eu choraria noite e dia pelos mortos do meu povo

Meus olhos, em uma fonte de lágrimas. Jeremias, conhecido como o profeta dos lamentos, identificava-se pessoalmente com o sofrimento de seu povo. Neste ponto, ele expressa o desejo de que suas lágrimas fluíssem ininterruptamente.

Até o versículo11 — São apresentado o julgamento paralelamente ao lamento anterior cap 8. Jeremias estava constantemente dividido entre o remorso e a ira, a tristeza e a raiva ao ver a destruição iminente do povo de Deus. O tema dessa passagem é o engano, que caracterizava as relações interpessoais entre o povo de Judá. Essa seção provavelmente foi registrada no início do reinado de Jeoaquim, por volta de 609 a.C.

 

 9.2 Ah, se houvesse um alojamento para mim no deserto, para que eu pudesse deixar o meu povo e afastar-me dele. São todos adúlteros, um bando de traidores!

A situação era tão terrível, que o profeta desejou um lugar de repouso longe daquele povo.

 

9.2,3 — Jeremias desejava ter um refúgio no deserto onde pudesse ficar livre da agonia, da tristeza, da amargura e da degradação de Jerusalém. A palavra adúlteros refere-se literalmente a maridos e esposas infiéis, mas, aqui, está ligada aos idólatras, os infiéis espirituais.

 

9.4 — Cuidado com os seus amigos, não confie em seus parentes. Porque cada parente é um enganador, e cada amigo um caluniador.

Guardai-vos cada um do seu amigo e de irmão nenhum vos fieis. Os negócios pessoais do povo eram caracterizados por engano, calúnia e desconfiança. Os padrões éticos haviam sucumbido. Enganar, que significa defraudar,

Jeremias não podia confiar em ninguém, a não ser em Deus. Além de não ter constituído família, também não tinha amigo ou irmão algum em quem pudesse se apoiar, “porque todo irmão não faz mais do que enganar, e todo amigo anda caluniando”

. Não faz mais do que enganar. O hebraico, 'aqôb ya'qob vem da mesma raiz de "Jacó" (cons. Gn. 27:36) Assim como Jacó enganou seu irmão — Esaú —, o povo de Judá defraudou seus semelhantes (Gn 27).

 

9.5 - Amigo engana amigo, ninguém fala a verdade. Eles treinaram a língua para mentir; e, sendo perversos, eles se cansam demais para se converterem.

Ou seja, a nação que deveria ser uma luz às demais nações, havia se transformado em um antro de fofoqueiros. Entravam tranquilamente no templo do SENHOR com aparência de santidade enquanto viviam “no meio da falsidade”.

Agora prestem muita atenção na continuação do verso, que diz: “pela falsidade RECUSAM CONHECER-ME, diz o SENHOR”

 

  1. De opressão em opressão, de engano em engano, eles se recusam a reconhecer-me, declara o Senhor.

 Andam-se cansando em obrar perversamente. 

Zombar dos irmãos e caluniar a vida do próximo são atitudes que resultam em abominação aos olhos de Deus: “Seis coisas o SENHOR aborrece, e a sétima a Sua alma ABOMINA: … O QUE SEMEIA CONTENDA ENTRE IRMÃOS” (Provérbios 6:16 e 19). Umas das piores desgraças que tem destruído a humanidade se chama língua maliciosa e a própria Bíblia deixa isso bem claro: “Ora, a língua é fogo; é mundo de iniquidade; a língua está situada entre os membros de nosso corpo, E CONTAMINA O CORPO INTEIRO, e não só põe em chamas toda a carreira da existência humana, como também é posta ela mesma em chamas pelo inferno” (Tiago 3:6).

O povo havia literalmente se desgastado com perversões. Engano nesse trecho é o mesmo termo utilizado a respeito do ato de Jacó contra Esaú (Gn 27.35). O termo se refere a ludibriar por meio de um discurso falso ou de balanças adulteradas. Recusam conhecer-me. A essência do problema de Judá era sua falta de conhecimento de Deus.

 

9.7 — Portanto, assim diz o Senhor dos Exércitos: Vejam, sou eu que vou refiná-los e prová-los. Que mais posso eu fazer pelo meu povo?

 Jeremias torna a mencionar a ilustração da fundição (Jr 6.28-30). Deus iria fundir e provar o povo por meio do fogo, a fim de se ver se alguém era fiel a Ele.

 

9.8- A língua deles é uma flecha mortal; eles falam traiçoeiramente. Cada um mostra-se cordial com o seu próximo, mas no íntimo lhe prepara uma armadilha.

 Um coração endurecido não consegue ouvir a voz de Deus, nem tampouco pensar no bem do próximo. Tudo o que faz pode até aparentar alguma bondade, mas não passa de uma farsa: “com a boca fala cada um de paz com o seu companheiro, mas no seu interior lhe arma ciladas” .

Deus é Santo! A Sua Casa é santa! E o Céu que Ele tem preparado são para os Seus santos! Portanto, entrar na presença do Santo, no Seu lugar santo e falar mal dos Seus santos, é, no mínimo, suicídio. Entende agora a expressão “mortos” do verso um?

Não troque este privilégio pelo prazer demoníaco de soltar veneno pela boca! Agarre-se à maravilhosa promessa de que há um Deus que não desiste de você! Hoje é dia de fechar a boca e de abrir o coração!

 

9 – 14: Esqueceram a Lei

9 Deixarei eu de castigá-los?”, pergunta o Senhor. “Não me vingarei de uma nação como essa?”

Jeremias cita novamente a imagem do arco e da flecha para ilustrar o engano de Judá (Jr 9.3). A ilustração fala de uma pessoa que conversa de paz com o seu companheiro enquanto arma-lhe ciladas.

Arma ciladas quer dizer  Planeja emboscadas.

 

 

9.10 - Chorarei, prantearei e me lamentarei pelos montes por causa das pastagens da estepe; pois estão abandonada se ninguém mais as percorre. Não se ouve o mugir do gado; tanto as aves como os animais fugiram.

 Pastagens do deserto, e não habitações do deserto. O profeta vê toda a terra despojada.

 

 

Pelos montes levantarei choro e pranto. Toda a terra seria assolada pela destruição. Os animais iriam abandonar o território, uma vez que nem sequer uma migalha de alimento permaneceria para as aves e os animais.

 

 

11 - “Farei de Jerusalém um amontoado de ruínas, uma habitação de chacais. Devastarei as cidades de Judá até não restar nenhum morador.

 A cidade santa de Jerusalém iria tornar-se morada de chacais , onde nenhum ser humano viveria.

 Os chacais são criaturas do deserto que vivem muito distante de toda pessoa. Para que Jerusalém se tornasse um lar de chacais, o povo de Deus não mais estaria habitando ali.

Chacais, e não, dragões.

 

9.12-16 — A explicação para o julgamento e o lamento resumidos em Jeremias 9.2-11 é apresentada em forma de prosa, em três partes:

 1) introdução (Jr 9.12); 

2) acusação (Jr 9.13, 14); e 

3) anúncio do julgamento (Jr 9.15, 16).

 

1 -introdução

9.12 —  Por que razão pereceu a terra. Antes, explique por que a terra foi arruinada.

 

Quem é bastante sábio para compreender isso? Quem foi instruído pelo Senhor, que possa explicá-lo? Por que a terra está arruinada e devastada como um deserto pelo qual ninguém passa?

 O homem sábio observa e compreende a ordem natural e as obras de Deus no mundo que ele criou. Nenhum sábio seria encontrado entre os habitantes de Judá e Jerusalém.

 

2) acusação (prosa e verso)

9.13_ O Senhor disse: Foi porque abandonaram a minha lei, que estabeleci diante deles; não me obedeceram nem seguiram a minha lei.

14 Em vez disso, seguiram a dureza de seus próprios corações, indo atrás dos baalins, como os seus antepassados lhes ensinaram.

  A infidelidade do povo em relação à aliança que havia deixado é indicada pela expressão não deram ouvidos [...] nem andaram. A palavra obedecer, a qual deriva de um termo em hebraico que significa ouvir, implica em uma resposta ativa após ouvir a Palavra de Deus. Em vez de caminhar de acordo com a lei de Deus, o povo agia segundo o propósito ou a teimosia de seu coração.

 

15 – 21: Comida amarga e água envenenada

 

3) anúncio do julgamento (prosa e verso)

9.15,16 —15 Por isso, assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: Vejam! Farei este povo comer comida amarga e beber água envenenada.

  1. tem Bíblia que está escrito

Absinto. Uma planta muito amarga. Água venenosa. Os dois termos foram usados em conjunto para indicar aflições amargas.

 

16 Eu os espalharei entre nações que nem eles nem os seus antepassados conheceram; e enviarei contra eles a espada até exterminá-los.

 Água de fel, termo utilizado em Jeremias 8.14 para descrever o julgamento de Deus, refere-se a algum tipo de bebida envenenada ou salgada. Espalharei entre nações [...] mandarei a espada. O povo de Judá seria exilado de sua terra prometida e até mesmo executado enquanto fugia, porque rejeitou Deus.

 

 

 

9.17 — Assim diz o Senhor dos Exércitos: Considerem: Chamem as pranteadoras profissionais; mandem chamar as mais hábeis entre elas.

As carpideiras eram mulheres contratadas para participarem de funerais e expressarem a tristeza dos que sofriam. Jeremias chamou mulheres para cantar lamentos quando Josias morreu (2 Cr 35.25). Aqui, são chamadas para lamentar o colapso de Jerusalém.

 

9.18 — Venham elas depressa e lamentem por nós, até que os nossos olhos transbordem de lágrimas e águas corram de nossas pálpebras.

E se apressem...depressa A urgência em convocar as carpideiras para liderar o povo em um lamento por causa da destruição iminente de Judá.

 

9.19 — O som de lamento se ouve desde Sião: “Como estamos arruinados! Como é grande a nossa humilhação! Deixamos a nossa terra porque as nossas casas estão em ruínas”

Arruinados. Esse verbo, que significa devastar, é usado frequentemente em Jeremias para se referir à devastação iminente de Jerusalém.

 

 Eles transtornaram as nossas moradas. Antes, Eles (os nossos. inimigos) derrubaram nossas casas (cons. II Reis 25:9).

 

 

9.20-22 —Ó mulheres, ouçam agora a palavra do Senhor; abram os ouvidos às palavras de sua boca. Ensinem suas filhas a lamentar-se; ensinem umas as outras a prantear.

21 A morte subiu e penetrou pelas nossas janelas e invadiu as nossas fortalezas, eliminando das ruas as crianças e das praças, os rapazes

22 - “Diga: Assim declara o Senhor: “Cadáveres ficarão estirados como esterco em campo aberto, como o trigo deixado para trás pelo ceifeiro, sem que ninguém o ajunte.”

 Ensinai o pranto a vossas filhas. O desastre iminente de Jerusalém era tão grande, que o número de mortos seria grande de tal maneira que multidões de carpideiras treinadas seriam necessárias.

 

A morte subiu como Mote, um deus cananeu, que supostamente entrava nas casas por uma janela aberta para trazer adversidade, destruição e morte.

 

Crianças  fala da obra o Espírito .A obra em que o Senhor está realizando e nossos corações.

 jovens ,mancebos,Homem... fala da força da juventude,fala do vigor do jovem que não abre mão da Salvação.Que não abre mão da benção do Senhor.

. A morte clama suas vítimas sem respeitar sexo ou idade. Os cadáveres permaneceriam como esterco sobre a face do Nossas Janela que são 5:

Ouvidos

Olhos

Paladar

Olfato

e tato as nossas mãos foram usadas para louvor  e adoração

Que o Senhor possa abençoar eu e vc para que possamos cuidar destas 5 janelas,para que o inimigo nunca venha entrar por elas

 

23,24  Glorie-se no Senhor

 

9.23,24 — Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio em sua sabedoria nem o forte em sua força nem o rico em sua riqueza,

 

24 mas quem se gloriar, glorie-se nisto: em compreender-me e conhecer-me, pois eu sou o Senhor e ajo com lealdade, com justiça e com retidão sobre a terra, pois é dessas coisas que me agrado, declara o Senhor.

 

 Esta maravilhosa passagem nos ensina em quem devemos nos gloriar: em Deus! E não na “glória” de acharmos que somos mais inteligentes do que qualquer outro; ou que somos tão fortes que nunca iremos cair; ou que temos alguma coisa, não tendo nada.

Se queremos nos gloriar, gloriemos em conhecer verdadeiramente a Deus e a Sua soberana vontade. Esta é a única glória que realmente tem valor nesta vida. A glória não está somente em conhecer e saber a vontade de Deus, mas conhecer Ele, ou seja, suas virtudes e caráter santo.

A glória é conhecer e saber que Ele é o Senhor, o Senhor absoluto e único (Dt 6:4).

A glória é conhecer e saber que Sua misericórdia não tem fim (Lm 3:22).

A glória é conhecer e saber que Ele é o justo juiz e fará justiça a todos que vivem na terra (Gn 18.20-33; Lc 18:7,8).

Tanto bons como maus receberão de Sua justiça infalível.

 A glória é conhecer o que agrada a Deus e saber que Ele é misericordioso e justo, e saber que isto lhe agrada sobremaneira.

Quer se gloriar? Glorie-se em conhecer a Deus!

O sábio o forte  o rico. 

O povo com quem Jeremias contendia confiava em sua própria capacidade em vez de se apoiar em Deus.

Gloriar também pode ser traduzido como gabar-se, que significa elogiar-se.

Três atributos de Deus que Ele exige de Seu povo são: beneficência, que significa amor leal;

juízo, que quer dizer julgamento e

 justiça, retidão.

 

9.25,26 —

25 “Vêm chegando os dias”, declara o Senhor, “em que castigarei todos os que são circuncidados apenas no corpo,

26 como também o Egito, Judá, Edom, Amom, Moabe e todos os que rapam a cabeça e vivem no deserto; porque todas essas nações são incircuncisas, e a comunidade de Israel tem o coração obstinado.

 Deus iria punir ou visitar Judá, juntamente com o incircunciso, ou seja, com as nações vizinhas. A circuncisão, o sinal da aliança de Deus com Abraão, não tinha significado se o coração da pessoa não fosse dedicado a Deus. Aqui, Judá é citado apenas como mais outra nação. Na verdade, nem sequer figura no topo da lista. O objetivo desse texto é semelhante ao conceito da inviolabilidade do templo (Jr 7). Assim como Deus destruiria até mesmo o templo (Jr 7.12-14), também ignoraria a circuncisão, quando ela se tornasse apenas um símbolo externo (Dt 10.12-22).

 08/02/2021

Fonte Reavivados por sua palavra

Moddy 

aula da Cristiane Cardoso online

veja tb